Primeiro livro-reportagem sobre maconha medicinal será lançado em Sorocaba

Reféns na Bienal

Em forma de livro-reportagem, “Reféns: quando o preconceito vence a medicina”, publicado pela Editora Schoba, traz um aprofundamento quanto ao uso medicinal da maconha e salienta o debate sobre o assunto, inclusive, mostrando como o tema é reportado pela imprensa. O lançamento oficial será às 18h do dia 30 de setembro, sábado, na Livraria Nobel de Sorocaba, localizada na Avenida Barão de Tatuí, nº 867.

Com base em matérias publicadas em revistas, jornais, portais de notícias, palestras, filmes, livros, estudos e entrevistas exclusivas, os jornalistas Fábio Duran e Joana Maria ponderam o lado medicinal da Cannabis sativa, que muitas vezes é aplicada como a única ou mais eficiente fórmula para tratar várias doenças, embora ainda haja controvérsias quanto ao tema.

Existem vários livros que falam sobre a maconha, sua história, seus efeitos, a repressão policial e estudos sobre o tema. Mas ‘Reféns’ é o primeiro livro-reportagem sobre o uso medicinal da maconha, que tem como foco trazer relatos de pessoas envolvidas na causa.

São 15 capítulos que narram desde os primeiros registros do uso da maconha, seus desdobramentos, até o interesse comercial das outras finalidades da planta, que volta a se fortalecer no mundo, inclusive no Brasil.

O livro foi finalista no Prêmio Intercom Sudeste 2017 e esteve na Bienal do Livro Rio, entre os dias 31/08 e 10/09 no stand da Editora Schoba. Mais informações no site www.livromaconhamedicinal.com.br.

Serviço:
Lançamento livro – Reféns: quando o preconceito vence a medicina
Data: 30/09/2017 às 18h00 (sábado)
Local: Nobel Sorocaba – Avenida Barão de Tatuí, nº 867 – Sorocaba/SP
Entrada franca
Valor do livro: R$50

Segue um trecho da introdução do livro:

“Enquanto produzíamos este livro houve importantes alterações na legislação brasileira, o que justifica a atualidade e importância do tema. Com pesquisas iniciadas no começo de 2016 definimos que o nome do livro seria Tratamento ilegal: quando a medicina perde para o preconceito, contudo durante a produção do livro uma relevante mudança ocorreu no Brasil. Embora a legislação previsse o uso medicinal desde 2006, com a lei 11.343/2006, a prescrição não era regulamentada e o medicamento ainda estava na lista de proibidos, ou seja, o médico seria investigado e possivelmente perderia seu registro se receitasse um medicamento à base de componentes da maconha. Foi em 21 de março de 2016 que a Anvisa autorizou a prescrição de remédios com CDB e THC no país. Com isso, e observando os depoimentos dos entrevistados que além da burocracia enfrentavam a discriminação, o livro passou a se chamar ‘Reféns: quando o preconceito vence a medicina’.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s